Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PROCESSADOR ´BAY TRAIL´ TRARÁ AO MERCADO PCS CONVERSÍVEIS DE BAIXO CUSTO

11/04/2013

O novo processador Atom da Intel, de codinome "Bay Trail", é voltado ao mercado de aparelhos de baixo custo e traz a promessa de PCs conversíveis e notebooks com autonomia de bateria para o dia inteiro a preços acessíveis, disse a empresa nesta quarta-feira.

"Acreditamos que ele irá expandir significativamente o volume de máquinas baseadas na arquitetura Intel, tanto baseadas no Windows 8 como em sistemas operacionais alternativos", disse Kirk Skaugen, gerente geral do grupo de PC cliente na Intel.

Anteriormente a Intel afirmou que o Bay Trail seria um processador para tablets, mas agora a empresa espera que PCs conversíveis e híbridos, bem como desktops, também usem o chip, disse Skaugen durante o evento anual Intel Developers Forum em Pequim, China. O executivo espera que estas máquinas custem, nos EUA, menos de US$ 599.

O novo chip é o sucessor do atual processador para sistemas móveis da Intel, de codinome Clover Trail. Mas os chips Bay Trail, entretanto, são baseados em uma microarquitetura completamente nova criada para trazer ganhos em desempenho e eficiência no uso de energia. Eles possibilitarão a criação de sistemas sem ventoinhas para a dissipação de calor e poderão conter até quatro núcleos. Produtos baseados em processadores Bay Trail deverão ser lançados até o final deste ano.

Os chips também podem ajudar a Intel a atender melhor o mercado low-end. Desde meados de 2010 a empresa vem tentando levantar as vendas de PCs promovendo os Ultrabooks, uma nova classe de notebooks finos com alto-desempenho e recursos avançados. A próxima geração de Ultrabooks, por exemplo, terão telas sensíveis ao toque.

Mas até o momento os produtos não estão vendendo em grandes quantidades. Em 2012 os notebooks “ultraslim”, termo que inclui os Ultrabooks da Intel e o Macbook Air da Apple, correspondiam a apenas 6% dos 200 milhões de notebooks entregues pelos fabricantes às lojas, disse Bryan Ma, um analista na empresa de pesquisa de mercado IDC. Uma das razões é o preço dos Ultrabooks, que inicialmente era de cerca de US$ 999.

"A Intel passou por uma espécie de crise de identidade. Quando criou a plataforma Ultrabook, ela foi projetada como um produto premium em resposta ao MacBook Air", disse Ma. “Infelizmente, na mesma época, os tablets estavam se tornando populares. Então a Intel deve de descobrir se os Ultrabooks ainda eram um produto Premium".

Desde então a Intel respondeu trabalhando com os fabricantes para reduzir gradualmente os preços dos Ultrabooks, que devem chegar a US$ 599 no final deste ano. Os processadores Bay Trail, entretanto, devem abrir o caminho para mais notebooks "de entrada", disse Skaugen. Notebooks equipados com os novos chips não serão chamados de Ultrabooks, mas ainda assim irão oferecer alto desempenho e autonomia de bateria para o dia todo, adiciona o executivo.
 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar