Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

LINKEDIN APRIMORA FERRAMENTA DE BUSCA PARA REFINAR PESQUISAS DOS PROFISSIONAIS

27/03/2013

Procurando emprego? Os novos recursos de busca do LinkedIn foram projetados para tornar a procura mais fácil.

A rede social profissional liberou pesquisas unificadas para cargos, pessoas e empresas. Desse modo, ao procurar pelo nome de uma empresa (como, digamos, LinkedIn) serão apresentados os resultados de pessoas que trabalham lá, vagas de emprego e o perfil da própria companhia.

Ou você pode procurar por um tipo de trabalho como "supervisor assistente", e ver as pessoas que possuem esse título, vagas abertas e empresas que estão à procura de supervisores assistentes.

Antes dessa atualização, a pesquisa do LinkedIn era bastante básica: você podia procurar por uma pessoa ou uma empresa, ou um local, mas não eram exibidos os resultados de outras categorias.

O site também liberou recursos de pesquisa, como filtros de busca avançada, autocompletar (que se torna mais intuitivo, com cada nova pesquisa que você faz), e alertas de pesquisa que te avisam quando novos resultados aparecerem (um poderoso "poupa-tempo" em pesquisas de emprego). Em algum momento, os algoritmos do LinkedIn também podem te oferecer resultados diferentes dos de outros usuários.

Slideshow mostra o que muda com a nova busca do LinkedIn (Fonte: LinkedIn)

Com 200 milhões de usuários registrados efetuando 5,7 bilhões de pesquisas somente no ano passado, a rede social está se tornando uma ferramenta importante para recrutadores, desempregados, e também para os já empregados - mas curiosos.

Os aplicativos do serviço ainda devem ser atualizados. No post no blog da empresa, que anunciou os novos recursos, a companhia indicou que outras  melhorias de busca estavam a caminho, com melhores formas de pesquisar e melhores resultados.

Os novos recursos aparecerão aos poucos para todos os usuários da rede nas próximas semanas.

A evolução das redes sociais
Plataformas sociais estão percebendo que seus resultados em buscas precisam ter mais amplitude, profundidade e personalização.

O Facebook, por exemplo, recentemente lançou a sua Graph Search - uma busca mais intuitiva, baseada em pesquisa de frases que permite ao usuário encontrar pessoas com base em parâmetros como "amigos dos meus amigos que gostam Radiohead".

Embora a rede social de Zuckerberg tenha mais usuários que o LinkedIn, o princípio é o mesmo: utilizar as informação fornecidas por membros da rede para fazer buscas mais detalhadas, mais úteis e mais originais do que as informações que você pode encontrar fazendo buscas básicas online.
 
 
 
Fonte: Computerworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar