Página Inicial



twitter

Facebook

  Dicas
|

COMO COMPRAR UMA CÂMERA FOTOGRÁFICA DIGITAL 2ª PARTE

José Dias - 17/04/2009

Na segunda parte deste artigo, explicaremos quais os significados de algumas siglas e informações que devemos observar na compra de uma câmera digital.

Se você não sabe a resposta para a pergunta: Qual será a finalidade e qual o uso que farei desta câmera? Clique aqui e leia a primeira parte deste artigo. Se você já sabe qual tipo de câmera quer, prossiga lendo o restante do artigo.

Como disse anteriormente, o marketing em cima da informação Megapixel é forte, e vem sendo usado pelos fabricantes, vendedores e pela própria mídia como fator que expressa a melhor qualidade da câmera e consequentemente nas fotos. Não é bem assim, mas para você entender mais facilmente é preciso que você seja apresentado à algumas informações básicas do mundo digital. É fácil, e não se assuste, fizemos este artigo para os iniciantes, portanto, não iremos entrar em detalhes a ponto de você fundir a cuca. Nossa intenção é informar e facilitar a sua vida na hora da compra.

Sensores:

Existem dois tipos de sensores usados nas digitais: CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor) e CCD (Charge-Coupled Device). Não vamos explicar cada um deles, deixemos essa discussão fora do nosso artigo.

Os CMOS, antigamente eram usados nas câmeras mais simples, hoje em dia, os CMOS evoluíram tanto e oferecem uma qualidade tão boa, que estão sendo utilizados em câmeras fotográficas profissionais e até mesmo em filmadoras. Portanto, não se preocupe com o tipo de sensor. O que você precisa é saber qual a função desse sensor.

A luz que entra pela lente da câmera, incide sobre um sensor de imagem, um CCD, ou CMOS. O sensor é dividido em uma grade muito fina de elementos formadores de imagem, os fotodiodos. São milhares destes pontos que são afetados pela intensidade da luz. Cada fotodiodo converte a luz em um sinal elétrico. O conjunto dos sinais elétricos formam a imagem. Quanto maior o sensor, mais fotodiodos cabem nele, e consequentemente maior é a resolução e a qualidade da imagem. Resumindo, as informações elétricas são convertidas para sinais digitais, de fotodiodos para pixels, que é a menor unidade de imagem digital.

As informações geradas, isto é, as imagens e sons captados, são então gravadas na memória interna da câmera ou no cartão de memória.

Para os "detalhistas", a tabela abaixo apresenta as dimensões de alguns tipos de sensores.

  Sensor (mm)
Tipe Largura Altura
1/3.6" 4.000 3.000
1/3.2" 4.536 3.416
1/3" 4.800 3.600
1/2.7" 5.371 4.035
1/2.5" 5.760 4.290
1/2.3" 6.16 4.62
1/2" 6.400 4.800
1/1.8" 7.176 5.319
1/1.7" 7.600 5.700
2/3" 8.800 6.600
1" 12.800 9.600
4/3" 18.000 13.500
35 mm filme 36.000 24.000


CMOS


CCD

Pixel:

Pix + el = Pixel.

Pixel é a junção de duas palavras em inglês -  Picture e Element - sendo que Pix é a abreviatura de Picture em inglês.

Pixel é o menor ponto que forma uma imagem digital, quando juntamos milhares ou milhões de pixels, temos uma imagem, ou no nosso caso, uma fotografia.

Megapixel:

Megapixel equivale a um milhão de pixels. É utilizado nas câmeras digitais para determinar o grau de resolução, ou definição de uma imagem.

Embora a quantidade de Megapixels garanta uma maior resolução e determine o tamanho que poderemos imprimir uma foto. Na verdade, o número de Pixels Efetivos é o que mais importa, pois é a quantidade real de sensores individuais de luz que a câmera possui. Se uma câmera possui 10 megapixels mas somente 5 megapixels efetivos, ela está utilizando interpolação, ou seja, ela "inventa" os outros 5 megapixels. Isso, embora aumente a resolução, não necessariamente acarretará em aumentar a qualidade final.

Imagine que os sensores das câmeras digitais são formados pelos pixels ou megapixels, quanto maior os sensores, maiores serão os pixels ou mais quantidades de pixels teremos no sensor. O problema ocorre quando a quantidade de megapixels aumenta muito e o sensor não, passamos a ter pixels tão pequenos que a captação de luz acaba sendo prejudicada.

Portanto, procure saber quantos pixels efetivos a câmera que você pretende comprar possui.

Infelizmente, não existe uma formula que defina o tamanho do sensor em relação a quantos megapixels seriam ideais.

Agora que você já conhece o "Sr. Megapixel", podemos seguir com mais informações das características que definirão a qualidade da sua câmera.

Optical Image Stabilizer:

Estabilizador óptico de imagem. Esta tecnologia que a cada dia está mais e mais presentes nas câmeras fotográficas é realmente funcional. É implementado na lente da câmera e até em binóculos. Um elemento óptico "flutua" e estabiliza a imagem. Ajuda muito quando se usa o zoom, por exemplo.
Não confunda "optical" image stabilization com "digital" image stabilization, normalmente encontrados em câmeras de vídeo. Embora tenham a mesma função, seu funcionamento e princípio são diferentes.

A Konica Minolta DiMAGE A2 possui um sistema chamado Anti-shake, que tem a mesma finalidade. Veja o vídeo do Anti-shake em ação:

Obs: Os movimentos foram aumentados para a demonstração.

Zoom óptico:

A maioria das câmeras possui os dois tipos de zoom: óptico e digital. O zoom óptico é o que permite aproximar e afastar o objeto que está sendo fotografado através da movimentação dos elementos ópticos da lente. O zoom digital é....bem, esqueça o zoom digital. Não se deixe enganar com zoom digital de 10X, 30X, etc, definitivamente nem olhe para isso na hora da compra. O zoom digital funciona da seguinte maneira: a câmera pega uma parte da imagem e amplia. Desta forma, quando aumentamos o zoom digital estamos na verdade reduzindo a resolução, portanto, reduzindo também a qualidade da foto. Tudo que não queremos.

Procure câmeras que ofereçam um bom zoom óptico. Despreze totalmente o zoom digital.

Distância mínima de foco:

É a distância mínima que a câmera consegue colocar em foco o objeto a ser fotografado. Colocar em foco é ter uma imagem nítida. Quanto menor esta distância melhor para fotografar objetos pequenos ou pequenos detalhes.

Autofocus, Manual focus:

Todas as câmeras possuem foco automático (autofocus), mas a opção de foco manual (manual focus) permite que você tenha um controle maior sobre o que você quer "focar". Se você decidiu por uma câmera tipo Point & Shoot, esqueça esta função. Caso você pretenda aprender alguma coisa sobre fotografia, esta opção será muito útil.

RED-EYE Reduction / Redução de Olhos Vermelhos:

Esta função nas câmera dispara uma luz antes do flash, um pré-flash. Assim, as pupilas dos olhos se retraem, evitando o problema dos olhos vermelhos nas fotos.

ISO:

É a sensibilidade a luz que o sensor da câmera oferece. Lembram quando comprávamos filmes para as câmeras analógicas? podíamos escolher a ASA do filme, pois é, a ASA do filme no mundo digital se chama ISO. Sua função é tornar a câmera mais sensível a luz que entra pela lente, desta forma conseguimos tirar fotos em ambientes com menos luminosidade. Normalmente as opções são: Auto e os selecionáveis 100, 200, 400. Existem ISOs mais altos, mas devem ser usados com cuidado, pois geram mais ruídos. Ruídos em fotos, nada tem haver com "chiados" em áudio e sim com pequenos pontos avermelhados que aparecem na fotos.

Visor LCD:

Você precisa ver o que vai fotografar, isso pode ser feito de duas maneiras nas digitais, pelo viewfinder ou pelo visor de LCD. Algumas câmeras Point & Shoot nem possuem mais o viewfinder, e cada vez mais os visores de LCD estão maiores e com melhores definições.

O viewfinder é aquele visor que você precisa colar a câmera no rosto e utilizar um olho para ver o que está fotografando. Fotógrafos profissionais utilizam o viewfinder, pois ele é mais fiel a foto. As máquinas profissionais, embora possuam LCD, estes são utilizados somente para ver as funções de ajustes da câmera (menu) e ver as fotos salvas. Algumas DSLRs, trazem a função Liveview, que permite utilizar o LCD para visualizar o que vai ser fotografado, da mesma maneira que uma Point & Shoot.

Alguns visores podem ser "destacados" e girados, o que em algumas situações facilita realizar a foto.

Objetiva (equivalente 35 mm):

Se falássemos de lentes, distância focal, objetivas, etc. fugiríamos da idéia inicial deste artigo. O assunto "Lente" como um todo, merece um artigo separado.

Para você saber o quanto sua câmera vai "enxergar" ou, qual será o ângulo de cobertura da sua lente, vamos citar o básico.

A sua câmera possui um botão de ZOOM; W (Wide-angle) e T (Telephoto). Quanto mais Wide-angle, maior será o ângulo de cobertura da sua lente, conseguentemente mais objetos caberão na foto e mais distantes ficarão.
Quanto mais Telephoto, menor será o angulo de cobertura da sua lente, conseguentemente menos objetos caberão na foto e mais próximos ficarão.

Essas informações são sempre levando em consideração o filme de 35 mm e são expressas em mm (milímetros) da seguinte forma: 28 ? 135 mm. Significa que em W (Wide-angle) sua lente é uma 28 mm, e possui mais ou menos 75º de ângulo de visão e em T (Telephoto) ela é uma 135 mm, mais ou menos 18º de ângulo de visão.

Para ilustrar e facilitar o entendimento, veja as fotos abaixo e repare com quais lentes foram fotografadas.


28 mm
W (Wide-angle)

50 mm Normal

135 mm
T (Telephoto)

Se a câmera que você vai comprar não permite trocar a lente, opte pela que possui o menor número em W (Wide-angle) e o maior número em T (Telephoto), desta forma, você terá uma maior cobertura nas suas fotos.

Definição da lentes:

< 20mm
Super Wide Angle
24mm - 35mm
Wide Angle
50mm
Normal Lens
80mm - 300mm
Tele
> 300mm
Super Tele

As DSLR permitem a troca de lentes, o que facilita muito o fotógrafo, uma vez que ele, em posse de algumas lentes, está preparado para qualquer tipo de foto que deseje fazer.

Memória e cartões de memória:

As fotos precisam ser armazenadas em algum local na câmera, isso é feito na memória. Algumas câmeras possuem memória interna e conseguem guardar algumas poucas fotos, outras não. Todas as câmeras utilizam cartões de memória para armazenar as fotos. Normalmente os cartões que acompanham as câmeras são pequenos, e precisamos comprá-los separadamente, com capacidade suficiente para nossas fotos. Existem uma infinidade de marcas e modelos, os mais comuns são: Memory Stick (normalmente usado pela Sony), SD, SDHC e Compact Flash, normalmente usado pelas câmeras profissionais e algumas Canons antigas.

Todos desempenham o mesmo papel e são encontrados com diversas capacidades. Os cartões SD e SDHC vem se tornando muito comuns e devem liderar o mercado muito em breve.

Pilhas ou Baterias:

Neste item a briga é feia. Baterias duram mais, ou seja, possibilitam um número maior de fotos e tem uma durabilidade muito boa. Por outro lado, qualquer problema e você terá que comprar uma nova bateria. Elas não custam barato, mas também não estragam com facilidade.

Pilhas, podem ser encontradas em qualquer local. Duram menos que as baterias, mas por serem baratas você não terá problemas em ter mais de um jogo no bolso. As pilhas recarregáveis, podem custar mais caro no início, mas logo se pagam com a possibilidade da recarga.

Câmeras que utilizam somente duas pilhas, demoram mais a recarregar o flash da câmera. Se a sua câmera usa pilhas, utilize somente pilhas alcalinas, e for usar pilhas recarregáveis utilize as de NiMH - Níquel Metal Hidreto. O visor de LCD, flash e o zoom consomem mais bateria.

Pilhas, pilhas recarregáveis ou baterias tem uma coisa em comum; nenhuma delas duram para sempre! Cedo ou tarde você terá que substituí-las por novas.

Conexões:

As câmeras costumam vir com as conexões:

  • USB 2.0 Hi-Speed - Para conectá-las ao computador;

  • Vídeo Output - para conectá-la na TV;

  • PictBridge - Para conectá-las em impressoras com a mesma função e realizar uma impressão direta;

  • HDMI - Algumas câmeras novas possuem esta conexão de alta definição.

Qual marca comprar:

Se você teve paciência de ler este artigo até aqui, é porque não quer jogar seu dinheiro fora, portanto, fique longe de marcas "ching ling". Vá nas conhecidas: Canon, Sony, Nikon, Panasonic. Muito importante também, é comprar a câmera em lojas de sua confiança, com nota fiscal e garantia.

Sobre a garantia da Sony, vale uma observação: A Sony só oferece garantia aqui no Brasil, em equipamentos que sejam comprados aqui e que possuam o termo de garantia em português. Esta é a garantia de que o produto é Sony Brasil.

Outras funções e características:

É claro, que existem outras características nas câmeras, mas não seria possível enumerar todas em um artigo só. Procurei mostrar que existem alguns pontos que são tão importantes observar quanto a quantidade de megapixel, e alguns até mais importantes.

Funções extras são sempre bem vindas, desde que não sejam coisas inúteis que só servem para aumentar o preço do produto.

E por fim, o seu gosto deve pesar na sua decisão. Se você simpatizou mais com a marca ou modelo X, se achou a preta mais bonita do que a prata, se gostou mais da "pega" do modelo Y, compre-a. É sua câmera e você deve ficar feliz com a sua compra. Quando for a loja comprar sua digital, faça como criança, veja com as mãos. Segure a câmera, veja, fotografe, leia as especificações, pergunte e tire suas dúvidas.

Espero que este artigo auxilie você na sua comprar.

Boas fotos e até a próximo artigo.


Se você tiver algum tipo de dúvida sobre esta dica ou qualquer outra dúvida de informática, dê um pulo no Fórum BoaDica (http://www.forumboadica.com.br), onde tem uma galera muito legal que troca idéias, ajuda, participa em diversos assuntos técnicos e com certeza poderão ajudar!

Procurando onde comprar sua câmera fotográfica digital? Veja na Pesquisa de Preços BoaDica

 
Indique esta dica Indique esta dica para um amigo

VOLTAR